sábado, 22 de julho de 2017

Polícia Civil prende integrante de quadrilha que explodiu a agência bancária de Ibiaí

Foto: Polícia Civil















A Polícia Civil divulgou no final da tarde desta sexta-feira (21) que um dos homens que participou da explosão de uma agência bancária em Ibiaí, Norte de Minas, no último domingo (16) foi preso logo no dia seguinte do crime.
De acordo com o delegado Regional de Pirapora, Diego Casemiro da Silva, o homem estava escondido em Pirapora.
“Ele tem uma ex-esposa que mora na cidade e ficou na casa dela. Na investigação nós conseguimos determinar a participação dele porque ele foi reconhecido nas filmagens", completa.
As câmeras de segurança do banco mostram toda a ação dos criminosos.  O homem foi identificado no momento em que o veículo saveiro, utilizado no crime, sai em fuga e ele retira a touca que usava.
“Estávamos com suspeita de que os autores teriam fugido para Pirapora e, com isso, começamos averiguar todas as informações até chegar a ele. Fizemos o interrogatório e ele negou, mas logo depois confessou”, contou o delegado.
Adenildon recusou a falar sobre quem seriam os comparsas dele no crime.  Por isso, a PC não divulgou as imagens, já que as investigações não foram finalizadas, mas a polícia já sabe que foi ele quem foi na frente, explodiu e pegou o dinheiro.
“Na casa da mulher foi apreendida a roupa que ele usou. Foram localizados ainda os materiais usados por eles que já haviam sido abandonados pela quadrilha durante a fuga”, completa o delegado.
O homem é ex-funcionário da empresa de transportes de malotes, Rodoban.
Atrás das grades
Na madrugada da segunda-feira (17), dois dos quatro a cinco criminosos, de 19 e 23 anos, foram presos após serem reconhecidos como os participantes do crime. Eles foram vistos pelos policiais de Lassance, em Várzea da Palma, em uma motocicleta com as mesmas características repassadas pelas testemunhas, tentaram fugir, mas foram abordados.
Daniel Ferreira dos Santos, de 19 anos e Rodrigo Ferreira Rocha, de 23 anos, foram reconhecidos por testemunhas como os autores que renderam os funcionários do Posto de Combustível durante o assalto. Com isso, foram presos e encaminhados a PM de Pirapora, onde aguardam serem levados para a Polícia Civil da cidade.
Os cerca de R$22 mil roubados não foram recuperados.
Dois homens ainda são procurados.
http://webterra.com.br/noticia/11731/policia-civil-prende-integrante-de-quadrilha-que-explodiu-a-agencia-bancaria-de-ibiai

Ex-goleiro Edinho é preso pela 5ª vez em Santos: 'Não aguento mais'


Polícia  Postado por Redação Voz da Bahia - 21/07 18:54h
Ex-goleiro Edinho é preso pela 5ª vez em Santos: 'Não aguento mais'
 O ex-goleiro do Santos Futebol Clube e filho de Pelé, Edison Cholbi Nascimento, o Edinho, se apresentou na tarde desta sexta-feira (21) à Polícia Civil, em Santos, no litoral de São Paulo, para cumprir 12 anos de prisão. Ele foi condenado por lavagem de dinheiro em decorrência do tráfico de entorpecentes. Edinho se apresentou após o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) decidir, pela terceira vez, na quinta-feira (20), rejeitar as apelações da defesa. Em seguida, a ordem de captura foi expedida pela 1ª Vara Criminal de Praia Grande. Ao chegar no 5º Distrito Policial de Santos, o ex-goleiro falou rapidamente com a imprensa. "Não aguento mais. Estou convicto na minha luta e, com certeza, vou vencer. Frustração", disse. O advogado de Edinho, Eugênio Malavasi, informou que agora vai recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF), para que ele possa responder em liberdade. Ele permanecerá preso até um novo parecer da Justiça. O ex-jogador chegou ao 5º Distrito Policial por volta das 16h, acompanhado do advogado e carregando duas sacolas, com cobertores e roupas. Edinho já foi preso outras quatro vezes, desde que a operação que resultou na sua condenação foi iniciada. (G1)

F. de Santana: Dupla assalta passageiros de ônibus, tenta atirar em vítima que não tinha dinheiro


Polícia  Postado por Anacley Souza - 21/07 19:27h
F. de Santana: Dupla assalta passageiros de ônibus, tenta atirar em vítima que não tinha dinheiro
Dois criminosos armados assaltaram os passageiros de um ônibus que seguia de Feira de Santana para Salvador, na manhã desta sexta-feira (21). O crime ocorreu na BR-324, pouco tempo após o coletivo deixar a rodoviária da cidade. Segundo a Polícia Civil, durante a ação, os homens tentaram atirar em uma das vítimas porque ela não tinha mais dinheiro para entregar a eles, entretanto a arma falhou. Com isso, segundo a polícia, os bandidos agrediram o passageiro com socos.  De acordo com a polícia, os suspeitos fingiram ser passageiros para assaltar o ônibus e, após entrarem no coletivo, anunciaram o assalto. Cerca de 26 pessoas viajavam no ônibus. Conforme a polícia, os bandidos obrigaram o motorista a entrar em uma estrada vicinal, para não chamar atenção e pegaram pertences das vítimas, como celulares, relógios e mochilas. Após a ação, os criminosos fugiram.  Ainda segundo a polícia, depois da fuga, o motorista do ônibus e os passageiros foram aré o Complexo Policial de Feira de Santana, onde registraram queixa. Ainda não há informações sobre a identidade dos criminosos. O caso será investigado pela Polícia Civil. (G1 Bahia)

Mulher é estuprada na presença de passageiros de van, diz polícia - na BR-101, no povoado de Buracica, na zona rural de Teodoro Sampaio, a 78 km de Salvador.


Polícia  Postado por Anacley Souza - 21/07 19:45h
Mulher é estuprada na presença de passageiros de van, diz polícia
Uma passageira de transporte alternativo foi violentada sexualmente na manhã desta quinta-feira (20/7), na BR-101, no povoado de Buracica, na zona rural de Teodoro Sampaio, a 78 km de Salvador.  Segundo a Polícia Civil, o veículo estava estacionado nas proximidades da rodoviária de Feira de Santana e seguia para o município de Conceição do Jacuípe, quando um homem negro entrou, e armado com um revólver deu voz de assalto. Na ocasião, o bandido obrigou o motorista a pegar a BR-101, rumo a Alagoinhas.  Uma passageira foi obrigada a tocar no órgão genital do suspeito. Os passageiros foram levados para uma estrada vicinal, onde a mulher foi estuprada na presença de todos. O bandido fugiu levando os bens das vítimas. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR) de Alagoinhas. (Berimbau Notícias)

Ex-detento posta 'bandido bom é bandido solto' e acaba preso


Polícia  Postado por Anacley Souza - 21/07 20:19h
Ex-detento posta 'bandido bom é bandido solto' e acaba preso
O ex-presidiário Hyago Matheus Lobo, apelidado de ‘Bob Marley’, de 20 anos, foi preso novamente na madrugada desta sexta-feira (21) na zona Oeste de Boa Vista. Ele deixou a Cadeia Pública há uma semana e comemorou com uma postagem no Facebook: 'Bandido bom é bandido solto'.  A postagem chamou a atenção da Polícia Civil que já investigava 'Bob Marley' por um assalto a uma residência no bairro Joquei Clube, zona Oeste, que ocorreu logo após ele deixar a cadeia.''Bob Marley' foi preso novamente nesta sexta junto com Izabel Pereira, de 20, em uma pousada no bairro Jardim Equatorial, zona Oeste. Com eles os policiais encontraram uma porção de maconha, crack, e dinheiro. Ele negou que a postagem tenha sido uma ironia à polícia.  Embora estivesse sendo investigado pelo roubo à residência, ocorrido dia 19 de julho, o suspeito foi preso nesta sexta em razão da venda de drogas, informou o delegado.  “Uma vítima o identificou no roubo, mas foi enquadrado por tráfico que ele mesmo confessa”, afirma Silva.  Indagado, Matheus Lobo admitiu integrar uma facção criminosa que atua nos presídios do estado.  "Passei um mês e oito dias na Cadeia Pública por ter feito um assalto. Tive direito a relaxamento de prisão dia 14 de julho. Não cometi esse assalto no Jóquei (Clube) depois que saí. Só tráfico mesmo. O comentário no meu Facebook não foi para a polícia ou população, mas para uma facção rival”, justifica. (G1)

Helicóptero faz pouso forçado no Rio após ser atingido por tiro


Polícia  Postado por Anacley Souza - 21/07 20:45h
 Helicóptero faz pouso forçado no Rio após ser atingido por tiro
Um helicóptero precisou fazer um pouso forçado nesta sexta-feira (21), em São Conrado, na Zona Sul do Rio. A aeronave sobrevoava os arredores do Morro do Vidigal e peritos confirmaram que ela foi atingida por um tiro. O projétil furou o rotor de cauda da aeronave, forçando o pouso. Ninguém se feriu. Peritos da Polícia Civil foram ao local do pouso, na área gramada próxima ao túnel que liga São Conrado à Barra. O caso será investigado pela 15ª DP (Gávea), e os donos da aeronave serão chamados para depor posteriormente. O helicóptero que fez o pouso forçado é particular, operado pela empresa Ultra-planna Táxi Aéreo. Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a aeronave tem prefixo PR-BAR e está em situação regular. Tanto o certificado de aeronavegabilidade como a inspeção anual de manutenção estão em dia.  Ainda segundo a Anac, "informações acerca da investigação e causas do pouso não programado podem ser apuradas com a força de segurança pública local".  O delegado José Alberto Lage, da 15ª DP, afirmou que a aeronave é particular e estava voltando para Jacarepaguá quando o piloto percebeu uma alteração no voo.  Ainda de acordo com o delegado, a tripulação saiu de Jacarepaguá, fez um voo panorâmico na Lagoa Rodrigo de Freitas e estava retornando ao destino quando o piloto sentiu a trepidação diferente na aeronave.  Além da Polícia Civil, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos também realizou uma perícia na aeronave. (G1)
Rotor na parte traseira do helicóptero teria sido atingido por tiro

Estado da Bahia terá que indenizar família de homem morto por policial fardado


22/07/2017 06:58 
Estado da Bahia terá que indenizar família de homem morto por policial fardado
O Estado da Bahia foi condenado pela 4ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) a indenizar em R$ 50 mil e pagar pensão a uma menina, até ela completar 25 anos de idade, por conta da morte de seu pai. O pai da jovem foi morto no dia 19 de setembro de 1992 por um soldado da Polícia Militar. De acordo com os autos, a vítima foi abatida “com dois disparos de arma de fogo que atingiram o crânio, antebraço esquerdo e região abdominal causando-lhe a morte”. O policial estava a paisana e fazia uso de bebida alcoólica momentos antes de iniciar o serviço no módulo policial de Periperi, para o qual estava escalado. As partes recorreram ao Tribunal de Justiça para modificar a sentença de 1º Grau. A família da vítima pedia majoração da indenização para R$ 200 mil. O Estado da Bahia, por sua vez, recorreu alegando que não deveria ser condenado por um ato praticado por agente fora do exercício da função pública, “ainda que (…) “estivesse fardado”. O Estado ainda considerou o valor da indenização de R$ 50 mil como algo “absurdo”, imposto de forma “abusiva e indecente”.
“As provas documentais e testemunhais indicam a veracidade dos fatos alegados concernentes aos tiros disparados por policial militar mediante uso de arma da corporação resultando no óbito do genitor da segunda postulante”, observa a relatora, desembargadora Lícia Laranjeira. Segundo o acórdão, “não há notícias nos autos de que o litisdenunciado tenha sido condenado como autor do disparo que culminou no óbito do pai da autora, mas tal fato não afastou a possibilidade do disparo ter sido efetuado por agente público estatal utilizando-se de arma de fogo da corporação”. As testemunhas ouvidas afirmaram em seus depoimentos que o policial militar não vestia a camisa da farda, mas que estava de calça e com o coturno e exibia a arma de fogo, estando em um bar. A vítima estava em outro bar, bebendo, e os dois discutiram. O policial foi para casa e meia hora depois retornou sem estar com a farda completa, apenas com a calça da farda e armado. Para a desembargadora, não há dúvida da relação entre o dano e o comportamento do preposto. “Induvidosa a necessidade de reparação atinente ao dano material em favor da postulante, filha da vítima, mediante pagamento de pensão, até que a mesma complete 25 anos de idade, quando presume-se sua formação, em percentual de 2/3 do salário mínimo, quando inexistente robusta comprovação dos efetivos do seu provedor”, diz o acórdão. Em outro trecho, a relatora aponta que a dor da morte do pai, abatido por policial, é “imensurável”. “Este fato por si só enseja pagamento de indenização, que se traduz numa forma de atenuar o sofrimento da vítima e da família, havendo sentimentos essencialmente subjetivos, tais quais o abalo psíquico, a mágoa e a tristeza, restando evidenciada a presença de elementos configuradores do dano indenizável”, sentencia. Sobre o valor da indenização, a desembargadora considerou que o valor é razoável e proporcional, e pode ser suportado pelo Estado. (BN)